Arquivo Adnews

Noivado não é casamento

Nos últimos anos, idealizadores do site de relacionamentos Christian Mingle (Em português seria socialização cristã), constataram que mais da metade dos crentes solteiros americanos fazem sexo antes do casamento. Em nosso país, não dispomos de dados que revelem com precisão a situação das igrejas evangélicas brasileiras. Porém, conversando com diversas lideranças que atuam diretamente com  a juventude, constata-se facilmente o porquê da preocupação e cuidado dos nossos pastores. Os departamentos de adolescentes, família e campanhas evangelizadoras, todos ligados à juventude da Assembleia de Deus em Pernambuco, trabalham diuturnamente afim de conscientizar as novas gerações dos perigos e consequências do relacionamento sexual precoce.

Em nosso país, as crianças, muito cedo, são bombardeadas com estímulos sensuais. Os ritmos, letras de músicas e falta de acompanhamento dos pais contribuem muito para que as primeiras experiências sexuais ocorram ainda na adolescência. Contudo, algo que causa grande preocupação é o fato de que muitos crentes que nasceram em berço evangélico e tiveram o cuidado de preservarem-se durante o namoro, acabam pecando por acharem-se comprometidos por meio do noivado. Alguns fatores podem estar contribuindo para que estes jovens fracassem nesta fase final que antecede o casamento. Vejamos:

  1. Descuido com a vigilância. Muitos jovens relaxam o cuidado e a vigilância que devem manter e finalmente pecam antes de chegarem ao altar. Isso porque assimilam a seguinte idéia: “agora vou casar mesmo, não tem problema avançar um pouquinho”. Interessante é que a Bíblia nos orienta a redobrar esse cuidado. O apóstolo Paulo adverte: “É melhor casar do que abrasar-se”, ou seja, arder em desejo. Na verdade, é durante o noivado que deve-se intensificar o cuidado com a pureza e a santidade, visto que nesta fase o desejo tende a aumentar.
  2. Falta de temor. É comum verificarmos que alguns jovens sentem-se “donos” da pessoa com quem noivaram e acreditam que podem consumar seus desejos antes mesmo de obterem a bênção de Deus e de seus pastores. Não nos enganemos, Deus não se deixa escarnecer. O escritor aos hebreus adverte que “aqueles que se dão à prostituição…Deus os julgará”!

Vale salientar ainda, que noivado não é casamento. Muitos são os que após anos de noivado, acabam descobrindo que não era isso que realmente queriam e põem fim a este compromisso. Para os que pecaram ficam as consequências: perda da comunhão com Deus, inseguranças, ciúmes, sentimento de culpa, autodepreciação, entre outras. Porém, para os que se conservam puros, fica a promessa do Senhor: “Eu honro aqueles que me honram” (1 Sm 2.30b).

Ev. André Alencar

______________________

* Publicado originalmente no Adnews 52 (Julho/2016)