Arquivo Adnews

Escolhendo a companhia certa

Dar conselhos e palpites para os outros é algo que fazemos com perfeição e excelência. Mas quando temos que fazer escolhas decisivas para o futuro, principalmente com quem vamos dividir a vida, é tão complicado quanto resolver uma equação de física quântica.

Já dizia Napoleão Bonaparte, “Nada é mais difícil e, portanto, tão precioso, do que ser capaz de decidir”. E, para os indecisos então, é uma tortura! A vida é feita de escolhas, e a capacidade de fazer as escolhas certas é uma virtude. Todos os dias tomamos decisões simples e complexas, e até mesmo as erradas se tornam lições. Mas a decisão tem que ser tomada de todo jeito!

Chega o dia em que todos se deparam com escolhas decisivas, como, por exemplo, escolher a pessoa com quem vai compartilhar os bons e os maus momentos, os segredos e os sonhos e constituir uma família. E essa é, sem dúvida, uma escolha difícil, pois envolve sentimentos.

O jovem cristão solteiro sempre se depara com diversos questionamentos enquanto está à espera do seu par. Dúvidas como: corro atrás ou espero Deus mandar? Deus confirma ou abençoa o namoro? Deus revela através de profecia? Será que existe um manual bíblico para o namoro? Já nascemos com uma pessoa certa para nossa vida?

Luiz Felipe, 20 anos, acredita que existem diversas formas de o jovem encarar esses questionamentos referentes ao relacionamento. Segundo ele, o jovem é livre para fazer suas escolhas baseadas na Palavra. Orando, buscando e vivendo uma vida de santidade, as bênçãos de Deus vêm sobre o relacionamento.

“Particularmente, não creio que Deus ande por aí confirmando namoro! Acredito que Deus olha o coração de ambos os jovens, as intenções, os propósitos, para poder derramar suas bênçãos sobre o casal. No entanto, vale lembrar que existem casos específicos, em que o nosso Deus mostra quem é a pessoa. Como no caso de Rebeca e Isaque, mas sabemos que nem sempre é assim”, comenta.

Existem pessoas que se atrapalham no relacionamento por não saber quem realmente desejam ter a seu lado. Vivem em conflito por não conseguir tomar decisão simplesmente porque não sabem escolher. “O casal deve ter os mesmos objetivos e o mesmo alvo: Jesus. E, para continuar no rumo certo, com as bênçãos de Deus, é preciso ter limites, santidade, oração, respeito e o principal: Cristo no centro de tudo. Por isso, não creio que nascemos vinculados a ninguém, porque a nossa permanência ao lado de uma pessoa depende da nossa conduta diante dos homens e diante de Deus, o que é o principal”, externa Felipe.

Vale ressaltar que um namoro ou um relacionamento não acontece do nada. Tudo tem um início. Além de esperar o tempo certo, o homem é o responsável por fazer a conquista, com maturidade e sabedoria, não desvirtuando os princípios bíblicos. Devido ao investimento emocional envolvido, a pessoa tem que escolher com calma e paciência. Mas tenha muito cuidado com as indecisões; o futuro é um labirinto para quem não sabe aonde quer chegar.

_______________________

* Publicado originalmente no Adnews 37 (Abril/2015)