A lâmpada não pode se apagar

O culto deste segundo dia foi marcado pelos louvores e adoração a Deus. Antes mesmo do templo ser aberto vários jovens cantavam hinos enquanto esperavam. No início do culto a equipe de louvor cantou os hinos congregacionais.

 

O coral de Preletores, o Grande Coral e o Coral Jovem do Templo Central foram os órgãos que formaram nestes dois dias. Entoando hinos de louvor como”Quem pode separar-me do amor de Deus? Nem dor, ou tristeza, fome e pobreza”  e o hino Emanuel: ” Verbo vivo que a morte venceu, para sempre adorado é o Filho de Deus. Conosco Estás, em nós vem agir, Amado Messias, Te sinto aqui”.

A cantora Miriam Mical também recebeu oportunidade para louvar ao Senhor. E logo após, o jovem Guilherme Fideles, que entoou o hino Pai eu Confiarei. Durante esses momentos a igreja pôde sentir a presença do Espírito Santo, que já estava preparando cada ouvinte para a Palavra.

 

A Leitura oficial foi lida pelo Evangelista Fábio Benício, no texto base desta 36º edição do Congresso de Jovens que se encontra no capítulo 3 do livro de Daniel. Lembrando que o tema do congresso é: Jovens Comprometidos com Deus.

A Palavra foi ministrada pelo Ev. Walber Gustavo, que ensinou sobre a vida de Samuel, começando com a leitura em 1 Samuel, capítulo dois.  Ele explicou sobre a obra e propósito de Deus em um nascimento como o do primeiro filho de Ana. “Samuel veio ao mundo não somente porque Ana quis, mas porque Deus quis. Cada jovem que está aqui nasceu porque Deus quis e Ele tem um propósito em cada vida”, frisou.

 

Além disso, a igreja recebeu a explicação do contexto histórico em que vivia aquele jovem: “Samuel ministrava em uma geração cheia de apetites e limites descontrolados, ele vivia na geração de Ofini e Finéias, jovens escandalosos”, além disso ele destacou que não devemos ser pedra de tropeço, como os dois filhos de Eli foram, induzindo os israelitas a terem o mesmo comportamento pecaminoso que eles tinham.

 

Outro ponto destacado durante a Palavra foi o princípio espiritual estabelecido no quarto mandamento: “Honra teu pai e tua mãe”, o evangelista explicou que esse mandamento era tão sério que os filhos que agredissem seus pais, na época do Antigo Testamento, eram punidos com a morte. Eles não podiam desonrar seus pais, mas Ofini e Finéias desonraram a Eli, e Deus pesou isso na balança, ratificou o obreiro, além de destacar que “Um filho que se levanta contra os pais jamais prosperará”, explicou.

Mas já próximo a conclusão ele falou do papel de Samuel e do nosso como  cristãos: “‘Antes que a Lâmpada se apagasse Deus chamou Samuel. Nós somos uma lâmpada de Deus e elas devem arder continuamente. Samuel ministrava e servia continuamente ao Senhor, ele fez disso a razão da sua vida. Ele era uma lâmpada de Deus para a sua geração”, com fervor ensinou o pregador.

“O Senhor está enchendo a lamparina de vocês, e para ser cheio do Espírito Santo é preciso ser cheio de Deus, receba o azeite que está sendo derramado aqui esta noite”. Com essa mensagem ele também introduziu uma experiência pessoal, do chamado de Deus para servir. E ao finalizar o seu testemunho, ele aplicou na vida de alguns dos presentes: “O Senhor está dizendo aqui que vai chegar o dia de chamar alguns jovens aqui para se dedicarem em tempo integral ao Senhor. Enquanto isso estude, faça faculdade, mestrado, doutorado, mas não se apegue muito, pois vai chegar o dia que vocês terá que deixar tudo isso para trás e assim como Samuel dizer’ Eis-me aqui, o servo do Senhor'”. E finalizou alertando: ” Não apague o pavio que fumega, receba fogo do alto”, concluiu.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *