A busca desenfreada pelo corpo perfeito

A beleza exterior sempre foi motivo de preocupação. Muitos acreditam que cuidar do corpo é uma filosofia de vida. Lipoaspiração, implantes de silicone, cirurgias plásticas, anabolizantes, dietas milagrosas, ditadura nas academias. A vaidade com o corpo está tão em alta que a aparência se tornou prioridade na vida de alguns jovens. Os padrões de beleza que a sociedade impõe, fazem com que a juventude se dedique cada vez mais a ter um corpo perfeito e moderno.

Assim como na Grécia antiga com estátuas e gravuras, o estereótipo mostrado pela mídia atual, principalmente em revistas e programas televisivos, traça um perfil de “super-humanos”. Todos musculosos, sarados, atléticos, nariz empinado, enfim, corpos perfeitos para corresponderem às exigências da moda.

No entanto, a excessiva valorização dessa “cultura” tem se tornado um problema até mesmo de saúde publica. A busca pela perfeição tem levado jovens a cometerem abusos contra o próprio corpo achando que dessa forma terão maior credibilidade e visibilidade social.

Ao olhar-se no espelho, Laís Mayara, 19, não se conforma com o que ver. Quer fazer uma cirurgia para afilar seu nariz e acredita que sua face ganhará um realce. “Quero ter um nariz fino”, explica a estudante. Todos os dias, ela se cobra e quer a todo custo realizar o procedimento da forma mais rápida possível para olhar para o espelho e ficar satisfeita.

Assim como Laís, sempre tem alguém querendo fortalecer sua personalidade com a aparência e dedica-se ao máximo como uma enfermidade psicológica, numa espécie de ‘culto ao corpo’. O culto ao corpo está associado ao poder da imagem que se faz de si próprio.

O dilema para manter a estética corporal faz alguns jovens tomarem atitudes que jamais pensaria que ocorreria consigo. Foi o caso de Silvana Porto, 28 anos. Preocupada com a estética de seu corpo e querendo ter “barriguinha de tanquinho” fez uma lipoaspiração no mês de dezembro. Após a cirurgia Silvana voltou para casa, dias depois, começou a sentir dores muito fortes e muita febre. Ela estava com hemorragia e início de infecção. Voltou para o hospital e está em coma.

A moda da “corpolatria” gera um impacto na vida desses jovens preocupados em ter corpos “sarados”. Isto influencia na área social, profissional, espiritual e até familiar. Na mente deles, todo foco é voltado para sua estética corporal ficam a mercê de cremes, academias, cirurgias e outros recursos para se sentirem mais valorizados e poder chamar atenção, quando na verdade se iludem ficando presos ao culto do corpo e afastando-se da saúde corporal.

_______________________

* Publicado originalmente no Adnews 13 (Fevereiro/2013)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *