Despertamento para a iminência da volta de Cristo

Fotos: Hércio Moraes/RBC
Fotos: Hércio Moraes/RBC
A noite do sábado (30) começou com maravilhosos louvores de adoração a Deus entoados pelas irmãs do Grande Coral de Mulheres, do grupo de louvor, e das Áreas escaladas para este culto. Também cantaram o Quarteto Gênesis, o Quinteto Feminino, o cantor Marcos Júnior, do Rio Grande do Norte, a cantora Eliã Oliveira e a cantora Míria Mical, de Alagoas.
O Templo Central da IEADPE ficou cheio antes 17h30 – como em todos os grandes eventos. Diversas irmãs dos estados do Rio Grande do Norte e Alagoas, acompanhadas por ministros que representaram os pastores Martin Alves e José Antônio, presidentes das Igrejas nos respectivos locais, também vieram cultuar nesta noite. Além dos irmãos que vieram dos diversos setores e filiais da IEADPE.
Vale lembrar dos milhares de telespectadores, ouvintes e internautas que acompanharam a transmissão pelas plataformas utilizadas pela Rede Brasil de Comunicação em qualquer parte do Brasil e do mundo. A ministração da Palavra de Deus foi feita pelo Ev. Marcelo Teles. Ele continuou falando sobre o tema central: “Despertai, o Rei está voltando”, baseado no capítulo 25 do evangelho escrito por Mateus. A preleção foi iniciada com o destaque para a maneira que Jesus utilizava para transmitir seus ensinos para a multidão – as parábolas.
Ele falou sobre o encontro entre o noivo e a noiva expresso no texto bíblico, com base no ritual do matrimonio realizado no oriente médio, relacionando-o com a condição atual da Igreja.
Depois, a parábola das virgens loucas e prudentes ganhou aplicação através do detalhamento da condição de vulnerabilidade daqueles que estão dormindo. “A Bíblia fala de pessoas que caíram em situações difíceis por causa do sono”, argumentou, lembrando os exemplos de Sansão, que acordou tarde demais, depois de dormir nos braços de Dalila, e acabou preso; de Saul, que teve as armas e a roupa violada por Davi e seus homens, enquanto dormia na caverna; do joio que foi plantado no meio do trigo, enquanto os trabalhadores dormiam; e de Eutico, que morreu ao cair da janela, enquanto Paulo pregava.
A palavra exortativa chamou a atenção de todos para a necessidade de vigilância para o momento da chegada do esposo. “Cuidado para não acordar tarde demais”, recomendou. Ele deu ênfase para a importância de se estar pronto na hora exata. “Há coisas que não se pode pedir emprestado”, exclamou.
Ele encerrou a explanação falando do desejo de Deus em continuar levantando despertadores diante da inércia da igreja brasileira. “Ele vai tocar a buzina nos quatro cantos. Deus vai levantar profetas, não para entregar chaves, mas com ferramentas para apertar parafusos”, disse. “Deus vai levantar Jeremias, neste inverno que está sobre a igreja”, pontuou enquanto relatava a ausência de desejo por buscar ao Senhor através da oração.
Durante o convite, a glória do Senhor tomou conta do ambiente enquanto eram entoados hinos que despertavam para a iminência da volta de Cristo e o desejo da alma do crente em estar com o Senhor para sempre. Dezenas de pessoas aceitaram a Jesus como Salvador de suas vidas, sendo acompanhadas ao discipulado.
Neste domingo (31), os irmãos participam de um Devocional, a partir das 8h30 e, em seguida, da Escola Bíblica Dominical especial. A noite, o culto de louvor e adoração a Deus começa às 17h30 com mais um Devocional.
Foto: Jackson Amil/RBC
Geral do Templo. Foto: Jackson Amil/RBC

“Despertai e mantende o altar concertado, pois o Rei está voltando”

O segundo estudo desta tarde de sábado foi ministrado pelo Pr. Waldemir Farias. Ele leu o capítulo 18 de I Reis, que fala do altar do Senhor que Elias restaurou e pediu para que Deus mandasse fogo e mostrasse que Ele é o Senhor.

A introdução do estudo mostrou como era difícil ser profeta na época em que Elias viveu, mas que quando a pessoa está com o altar firme, Deus usa para a sua obra. “O Espírito de Deus está querendo resgatar o altar que está quebrado”, falou.

Ele explicou que não devemos somente resgatar o altar, mas que quando o nosso altar for cheio do fogo que Deus mandar do céu, não podemos deixar ele se apagar. “Prepare o seu altar, porque o Senhor vai mandar fogo sobre o altar que está quebrado”, afirmou.

Além do exemplo do altar, o pastor lembrou-se das dez virgens que esperavam ansiosamente pela chegada do noivo, mas apenas cinco se prepararam e as outras, loucas, não guardaram azeite para acender a lamparina. “Tem crente que não vem para a oração, não se consagra em hora nenhuma e na hora do arrebatamento quer acender lamparina”, exortou

Para finalizar, ele falou da importância de manter o altar pronto, restaurado para receber poder do céu. Para que no grande dia, não sejamos pegos despreparados.
_MG_9774

“Quando os laços afetivos se desgastarem, os de Deus unirão”

Foto: Everton Irineu/RBC
Foto: Everton Irineu/RBC
O primeiro estudo bíblico, na tarde deste sábado, ministrado pelo Pr. Ailton Junior, teve por tema “Despertai e remi o tempo, pois o Rei está voltando”.
Durante o estudo o pastor deu continuidade ao ensino do tema central do 14º Congresso de Mulheres, baseado no livro de Mateus 25. 1-13, com o enfoque na postura da mulher, lembrando que o governo da casa está nas mãos da serva de Deus.
A mulher, como mãe é mais que uma doutrinadora, ela interfere de maneira direta na vida dos filhos, influenciando, inclusive, no projeto que Deus tem para o fruto de se ventre. “Deus antes que você se case, sabe os filhos que você terá. Então, dependendo da mãe, ele separa no ventre”, afirmou o pastor e continuou mostrando os exemplos bíblicos da mãe de Jeremias, conforme o trecho encontrado no livro de Jeremias, capítulo 1 e o versículo 5 que diz: “Antes que eu te formasse no ventre, eu te conheci: e, antes que saísses da madre, te santifiquei e às nações te dei por profeta”. Citou também o exemplo de Paulo, no texto escrito aos Gálatas pelo apostolo, quando o próprio Paulo fala que aprouve a Deus o escolher desde o ventre da sua mãe e, o chamar pela sua graça.
O pastor prosseguiu a ministração falando da importância da mulher guardar o seu útero, no sentido de cuidar, enfocando na santidade que deve envolver até mesmo a concepção de um filho. Logo após usou o exemplo de Débora, como uma mãe esperta, que percebe os caminhos tortuosos dos filhos, os protege. A mãe não abre mão de ser mãe, de vigiar. “A vigilância deve começar na santidade pessoal, para isso se apoiou no segundo livro de Coríntios, 3.5-6,no trecho que diz: “Examinai a vós mesmos”.
Foto: Everton Irineu/RBC
Foto: Everton Irineu/RBC
“A devoção de uma mãe, faz com que ela tenha revelação de Deus, sobre seus filhos”, a afirmação foi seguida pela pergunta: “Você já se levantou de madrugada para orar pelos seus filhos?”, com o intuito de despertar as mulheres para a importância de interceder pela sua família o Pr. Ailton Junior continuou falando até mesmo sobre as mulheres que possuem esposo não cristão, alertando sobre a importância de ser piedosa, de seguir a postura cristã, e apresentar a Deus, pois só Ele pode fazer o que nem mesmo a mulher tem condições. Contudo a tarefa cristã não termina após Deus revelar algo sobre seus filhos, a mãe será sempre mãe. É necessário, porém, que ela compreenda que deve deixar Deus trabalhar na vida dos filhos, vigiando para que, mesmo quando o Senhor revelar um plano para a vida dos filhos, a mulher não erre interferindo em algo. “Deus não deixa pais sem resposta, Deus não deixa mulheres sem resposta” e usou o exemplo de Rebeca, “Na hora que era pra ela confiar no que Deus disse, ela não confiou, ela não vigiou, porque ela não se examinou. Não viu que estava fazendo algo errado”. O pastor finalizou essa explanação dizendo que “Quando Deus diz que vai fazer, e Ele que vai fazer”.
Além desses ensinamentos foi lembrado a importância da vida devocional, que é a leitura da palavra e a oração. “A sua vida devocional vai estruturar e marcar a vida do seu filho”. O pastor mostrou o exemplo que a mãe de Davi deixou para ele e as marcas, as lembranças, geradas através dela na vida do filho. “Davi quando estava em crise se identificava a Deus como ‘o filho da tua serva”, lendo em salmos 86.16 e 116.16. Foi ratificado a escala de valores que uma mulher deve ter, estabelecendo Deus no primeiro lugar, e até mesmo “Quando os laços afetivos se desgastarem, os de Deus unirão a família”.