Santificação para os olhos

Grande Coral - segunda noite do 13º Congresso de Mulheres. Foto: Jackson Amil - RBC
Grande Coral – segunda noite do 13º Congresso de Mulheres. Foto: Jackson Amil – RBC

“Eu aprendi a ser mais crente hoje”, disse a irmã Fátima Silva, do município de Carpina, nesta segunda noite do 13º Congresso de Mulheres da IEADPE. Segundo a congressista, é sempre uma grande satisfação participar das edições do evento. “Aprendi coisas demais. Foi muito gratificante estar aqui hoje, sentindo a presença do Senhor. Vou para casa, mas amanhã estarei aqui de novo, em nome de Jesus”, revela.

A noite desta sexta-feira (30) começou muito cedo para quem estava no Templo Central desde a manhã, e demorou a chegar para quem estava com planos de vir ao culto da segunda noite. Neste primeiro dia de estudos diários não houve pausas. Desde as 8h, todas as mulheres presentes no evento estiveram atentas a todas as aulas.

Na hora do almoço houve revezamento. Em nenhum momento os bancos se esvaziaram. Afinal, o momento devocional é disputado. São muitas bênçãos e milagres recebidos e todas desejam agradecer a Deus publicamente.

Nem no final da tarde elas param. Enquanto uma multidão deixa o templo e volta para casa – principalmente para as cidades da Zona da Mata e do Agreste – outra multidão chega ávida para sentir a presença do Senhor e se junta a uma terceira multidão que faz questão de permanecer no evento.

Adoração no 13º Congresso de Mulheres. Foto: Hércio Morais - RBC
Adoração no 13º Congresso de Mulheres. Foto: Hércio Moraes – RBC

Depois do culto introdutório, uma equipe de louvor começou a entoar com toda a congregação os hinos congregacionais do culto festivo. Em seguida, vários louvores e cânticos pelos cantores Flavia Cristinne, Quarteto Genesis, grupos convidados, como o Coral de Mulheres de Maceió – AL, além do hino oficial Santidade, pelo grande Coral acompanhado pela cantora Elia Oliveira.

Para a noite do culto festivo, o assunto mais uma vez seguiu na temática da santidade, mas seguimentado para um dos cinco sentidos do ser humano: a visão. “Buscando a santificação para os meus olhos”, este foi o contexto abordado pelo Evangelista Natanael Balé. Sua explanação foi baseada no trecho […] Se os seus olhos forem bons, todo o seu corpo será cheio de luz. Mas se os seus olhos forem maus, todo o seu corpo será cheio de trevas […] do livro de Mateus 6. 22 – 23, que trata da visão espiritual.

Começou a expor as características e as consequências dos olhos não santificados (olhos maus), que são influenciados pelo inimigo, são olhos bisbilhoteiros, olhares soberbos, olhos malignos, nunca se fartam, não conseguem ver o que é correto, zombam das autoridades constituídas por Deus, são adúlteros e fazem o mal. Concluiu o tópico informando que os olhos que não são santificados estão cheio de pecados.

Na segunda parte, falou das características dos olhos santificados: que são saudáveis, veem o que realmente está em sua vista, são olhos para ver a herança destinada aos santos, tem luz, é um olhar que espera em Deus, se alegra com a salvação de Deus, semeiam a esperança, contemplam o Senhor e sabem identificar o espiritual do material.

“Os olhos santificados são olhos verdadeiros, abençoados, misericordiosos. Os olhos santificados refletem a luz do Senhor Jesus. Para influenciar esta geração, precisamos molhar o altar de Deus com lágrimas, e, Deus vai inverter esta situação. Molhemos o altar de Deus com lágrimas sinceras e verdadeiras.” E concluiu profetizando para a igreja: “Se prepare para as novidades de Deus!”

Ev. Natanael Balé preletor da segunda noite do 13º Congresso de Mulheres. Foto: Jackson Amil - RBC
Ev. Natanael Balé preletor da segunda noite do 13º Congresso de Mulheres. Foto: Jackson Amil – RBC

Nesta confraternização, estava a irmã Marilene França, da área 02 – Alto dos Coqueiros. Ela conta que Deus lhe deu um grande livramento de câncer. “Passei o processo de uma cirurgia, e Ele falou e cumpriu na minha vida e estou aqui louvando o nome dEle”, expressa Marilene, que há quatro anos participa do grande coral do evento.

Desde os Terminais Integrados (T.I) do Grande Recife, a movimentação de irmãs que se dirigiam ao Templo Central da IEADPE, era intensa. Vinham de todas as partes, estavam vestidas com a camisa oficial do evento, que sinalizavam de longe, que eram congressistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *