Arquivo Adnews

O verdadeiro sentido do Natal

Normalmente estamos acostumados a proceder com ações, práticas e comportamentos que, devido as repetições constantes, acabam tornando-se hábitos. Esses hábitos, por sua vez, constituem regras, modos e costumes. Isso é normal em qualquer sociedade. O problema é que, com o passar do tempo, corremos o risco de manter tradições sem, contudo, conhecermos a verdadeira essência ou razão do porquê as mantemos.

É como quando procuramos saber quais dias do nosso calendário serão feriados, apenas porque queremos programar viagens, lazer em família ou um mero descanso. Poucos se interessam em conhecer as verdadeiras razões que motivaram, por exemplo, as comemorações do dia 21 de abril ou 1 de maio, a não ser quando estão em uma sala de aula de História.

Desconhecer a essência ou o verdadeiro sentido de uma prática ou comemoração, torna as pessoas vulneráveis a todo tipo de sugestão, deturpação ou mero legalismo. Jesus criticou os religiosos por promoverem isso em seus dias. Eles invalidaram o mandamento de Deus por causa de suas tradições (Mt 15.6), ou seja, mantinham uma prática desconhecendo a essência! Vide o que se passa nas comemorações alusivas a Páscoa, onde há um colossal abismo entre a essência e o que realmente se pratica! É evidente que há aspectos espirituais e humanos envolvidos. O mundo jaz no maligno, a natureza humana é inclinada para o mal e a consequência disso é satanás relacionar uma tendência do ser humano, com seu propósito de tirar o foco das pessoas do salvador. O resultado é uma enxurrada de figuras medíocres no lugar de Deus e Sua Palavra, bem como um fomento do consumismo, farras e bebedeiras! Lamentável!

Cabe àqueles que realmente conhecem a essência de certas tradições, reafirmar ao mundo o que motiva tais práticas! Repousa sobre nós, verdadeiros cristãos, o dever e a responsabilidade de proclamarmos o que verdadeiramente se propõe em nossas celebrações!

25 de dezembro se aproxima. Não se trata apenas de mais um feriado. Não é mais uma oportunidade de se confraternizar em família ou entre amigos. É refletir sobre o maior milagre que o mundo já experimentou! Apesar de ser algo fantástico, a criação não é a maior das maravilhas! As operações miraculosas de Deus ou qualquer outra manifestação sobrenatural, nem de longe se comparam ao milagre da encarnação! Deus, motivado por seu amor, justiça e misericórdia, decidiu ser homem! O Criador do universo veio ao mundo, nasceu, foi criança! E, o mais importante, viveu com um propósito definido: morrer da forma mais cruel conhecida, a cruz! Tudo isso em nosso favor!

Que o Espirito Santo nos impulsione a que vejamos essa comemoração em sua verdadeira essência e sentido! Que o velho gordo com a roupa ridícula, que se locomove num trenó onde não cai neve, seja expulso dos corações de nossas crianças! Nosso Jesus é mais lindo… digno! Ele nasceu pobre, no entanto é Rei! Ele fala a linguagem dos humildes porque é humilde! Ele está em seu trono de glória, mas antes sujou os pés nas estradas empoeiradas da Galileia, afim de revelar seu amor a todos! Os presentes, as árvores de natal e tantas outras futilidades não podem ocupar maior notoriedade do que o aniversariante da festa!

Não importa o fato de não sabermos a data exata de seu nascimento. O Que importa é que “um menino nos
nasceu, um filho se nos deu; e o principado está sobre os seus ombros; e o seu nome será Maravilhoso Conselheiro, Deus
Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz”. Estávamos em trevas, mas Ele nasceu e a luz raiou em nossas vidas. Feliz
aniversário, Jesus!

Ev. André Alencar

_______________________

* Publicado originalmente no Adnews 81 (Dezembro/2018)