Arquivo Adnews

Bíblia: um manual completo e atualizado

Escrito por um período de quase 1.600 anos; primeiro livro impresso utilizando o processo de tipos móveis reutilizáveis, a imprensa de Gutenberg; livro traduzido para mais de 2 mil línguas e dialetos; também o livro mais comercializado do mundo, com mais de 6 bilhões de cópias vendidas. Isso é a Bíblia. Conquanto tais dados causem verdadeira admiração, o que impressiona mesmo na Bíblia é o seu conteúdo, a sua impactante mensagem. Também pudera: a Bíblia é Deus falando aos homens. É a própria Palavra de Deus. O Senhor que, conforme bem pontuou o escritor em sua carta aos Hebreus, é o mesmo ontem, hoje e eternamente.

Sendo, pois, a Bíblia a Palavra do Deus eterno, do Deus também de hoje, ela tem como um de seus principais predicados ser atual. É impressionante a contemporaneidade da Bíblia Sagrada. Não obstante o cânon sagrado ter sido fechado há quase 2 mil anos, sua mensagem segue atual, perpassando tempos, idades e gerações.  Seu primeiro livro, Gênesis, é ponte entre a eternidade passada e a existência do homem no espaço-tempo, detalhando de forma simples e racional a história da criação. De outro modo, seu último livro, o Apocalipse, liga nosso tempo e espaço à eternidade futura.

Sua atualidade está em enunciar princípios eternos, abordando temas que sempre estiveram (e estarão) presentes na vida do homem, mormente o drama que este passou a viver como consequência do pecado — as complicações que o ser humano passou a vivenciar como reflexo do pecado original. Relato após relato, a Bíblia demonstra os efeitos e as implicações do pecado, no tempo e na eternidade. Interessante é que, dos 1.189 capítulos da Bíblia que integram os seus 66 livros, apenas quatro deles não envolvem o mundo caído em face do pecado: coincidentemente os dois primeiros (Gênesis 1 e 2) e os dois últimos (Apocalipse 21 e 22). O resto é só crônica da tragédia do pecado. Crônica que, partindo de Adão e Eva, expulsos do Éden, continua até o fim dos tempos com o retorno de Cristo em julgamento.

A Bíblia trata de tudo o que interessa diretamente à existência do homem: fala sobre a mente de Deus, a situação do homem, o caminho da salvação, o destino dos pecadores e a felicidade dos crentes.

Por tudo isso, esse Livro é, por assim dizer, o manual que Deus outorgou aos homens. Um extenso manual, é bem verdade. E não poderia ser diferente: para uma criatura tão complexa (e complicada!) como se tornou o homem pós-pecado, seu “fabricante” só poderia mesmo outorgar-lhe um livro tão extenso, abrangente e atualizado quanto a Bíblia. 

Pb. Joarib Santos

_______________________

* Publicado originalmente no Adnews 32 (Outubro/2014)