Arquivo Adnews

Um comportamento dentro da igreja e outro fora dela

“E desceu Sansão a Timnate; e, vendo em Timnate uma mulher das filhas dos filisteus. Subiu, e declarou-o a seu pai e a sua mãe, e disse: Vi uma mulher em Timnate, das filhas dos filisteus; agora, pois, tomai-ma por mulher. Porém seu pai e sua mãe lhe disseram: Não há, porventura, mulher entre as filhas de teus irmãos, nem entre todo o meu povo, para que tu vás tomar mulher dos filisteus, daqueles incircuncisos? E disse Sansão a seu pai: Toma-me esta, porque ela agrada aos meus olhos” (Jz 14.1-3).

A história de Sansão representa muito bem a conduta de um jovem cristão instável e vulnerável às influências mundanas. É aquela pessoa que, dentro de seus territórios, a Igreja, por exemplo, mostra-se forte, decidido, heróico e admirável. Mas, fora de seu perímetro, comporta-se de maneira dúbia e reprovável, adequando-se aos padrões estabelecidos por pessoas estranhas aos costumes e condutas cristãs.

Ao povo de Israel, Sansão se revelava um jovem prodigioso, vencedor de grandes batalhas, um verdadeiro herói. Seu povo o admirava, aplaudia suas ações e reconhecia o mover do Senhor em seu viver. Contudo, os olhos de Sansão estavam fora dos perímetros de seu povo, ele era atraído pela vida diferente das nações inimigas e pelo prazer fugaz de seus atrativos. Este comportamento duvidoso o levou à derrota, ao fracasso diante dos opositores filisteus, numa prova inequívoca de que todos que optam por manter uma dupla conduta, e não fazem separação entre o profano e o sagrado, sofrerão as consequências de sua indecisão. Jamais devemos nos esquecer que somos propriedade exclusiva de Deus (I Pe 2.9).

A vida social de um jovem cristão deve coincidir com suas declarações de fé, seu procedimento nos lugares que frequenta deve ser compatível com os costumes e doutrinas de sua Igreja. Esta é uma questão de caráter, uma prova de lealdade a Deus e aos seus irmãos, a manifestação pública de sua crença nas verdades e doutrinas da Santa Palavra de Deus e a valorização da presença do Espírito Santo em sua vida. Todo comportamento social baseado na dubiedade caracteriza ausência de firmeza espiritual e hesitação na fé em Deus, comportamento reprovado pelo Senhor.

Que Deus levante nestes últimos dias, jovens corajosos e decididos como Daniel em Babilônia, que se mantenham fiéis em situações adversas como José no Egito, honrando a Deus mesmo quando não estava sob a proteção e companhia de seus irmãos.

“Disse-lhes, pois, Jesus: A luz ainda está convosco por um pouco de tempo. Andai enquanto tendes luz, para que as trevas não vos apanhem; pois quem anda nas trevas não sabe para onde vai” (Jo 12.35).

Ev. Josiel Soares

_______________________

* Publicado originalmente no Adnews 9 (Setembro/2012)

Escola Bíblica de Obreiros, Eventos, igreja, Templo Central

“Queres ficar são? Há um Deus que muda situações”

O penúltimo culto festivo desta 62ª Escola Bíblica de Obreiros contou com a casa cheia. Desde a abertura do evento, irmãos das filiais da IEADPE no exterior vieram participar desta edição, como também missionários da África do Sul, Moçambique, Guiné-Bissau, Portugal, Peru e Argentina. Também marcaram presença caravanas do Interior e grupos da Região Metropolitana do Recife.

Depois que o culto de louvor e adoração a Deus começou, os hinos de exaltação conduziram os presentes a glorificar ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Entre os órgãos presentes, estavam o Coro e Orquestra Doce Harmonia, a União de Adolescentes Resplandecer e cantores locais.

 

 

O Pr. José Prado Veiga, da AD em São Paulo, realizou a leitura da Palavra em João 15.1-5, que diz: “Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador. Toda a vara em mim, que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto. Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado. Estai em mim, e eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim. Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.”

A ministração da Palavra de Deus foi feita pelo Pr. Eliezer Lira, da AD em Curitiba. Ele leu o texto de João 5, que fala sobre a cura do paralítico que estava enfermo há 38 anos no tanque de Betesda.

O preletor explicou que a situação daquele homem era ao mesmo tempo extraordinária e comum, todos passamos por aflições, mas aquele paralítico tinha esperado por muito tempo sem saber o momento em que teria a sua vitória. E, apesar dessas circunstâncias, “a Bíblia nos convoca a confiar no Senhor”, pois “há um Deus que muda situações”.

Quando se aproxima, Cristo faz uma pergunta inusitada e fantástica àquele homem: “Queres ficar são?” (v.6). Segundo o pregador, “Jesus queria tirar aquele homem de um estado de acomodação quase que irreversível. Jesus queria provocar ele a sentir a necessidade de algo novo em sua vida” e Jesus quer fazer o mesmo na vida dos ouvintes.

Amanhã será o último dia desta edição da EBO, que contará com estudos para obreiros de todo o Estado. As esposas de pastores, evangelistas e presbíteros poderão participar das plenárias e da reunião da União de Esposas de Ministros das Assembleias de Deus em Pernambuco (UEMADEPE), que acontecerá das 8h30 às 12h30. E à noite, o culto de Encerramento será aberto para toda a Igreja.